Aquele era o dia 20 de janeiro de 1982. O Flamengo havia sido campeão mundial em dezembro do ano anterior e enfrentaria o São Paulo (“a máquina tricolor”) no jogo de abertura do campeonato brasileiro de 82.

O público presente era de exatas 85.236 pessoas. Eu estava lá, com os meus 11 anos de idade, acompanhado por meu pai e pelo meu irmão.

As outras 85.233 pessoas não sabiam, mas era a minha primeira visita ao estádio Maracanã.

Esse era o time do Flamengo: Raul, Marinho, Mozer, Leandro, Andrade, Lico, Adílio, Zico, Júnior, Nunes, Chiquinho Carioca e Vítor. O técnico era o Carpegiani.

Essa era a máquina tricolor: Waldir Perez, Oscar, Dario Pereira, Everton, Almir, Mário Sérgio, Getúlio, Marinho Chagas, Paulo César, Ricardo, Renato e Serginho Chulapa. O técnico era o Formiga.

Eu nunca mais esquecerei aquele dia, aquele time e aquela torcida.

Mas o começo foi angustiante …

Primeiro tempo: FLA 0 x 2 São Paulo. Dois gols do Serginho Chulapa.

Mas veio o segundo tempo.

Andrade fez um gol de fora da área e Zico fez os outros dois gols.

Placar final: Flamengo 3 x 2 São Paulo.

Naquele ano de 1982, após derrotar o Grêmio em pleno estádio Olímpico (1×0, gol de Nunes), o Flamengo se sagrou bicampeão brasileiro.

Andrade foi o grande maestro daquela equipe fantástica.

Passados vinte e sete anos, o destino resolveu colocar, mais uma vez, o time do Grêmio no caminho do Flamengo.

Eu não irei ao Maracanã no próximo domingo, mas estarei devidamente representado pelo meu irmão.

Espero que a estrela de Andrade brilhe bastante no próximo domingo contra o Grêmio e que ajude o Flamengo a ser, novamente, campeão brasileiro.