STJ passa a digitalizar processos e devolver autos físicos aos tribunais de origem

31/05/2009

Hoje, ao fazer consulta sobre um Agravo de Instrumento no site do STJ, fui surpreendido com a seguinte informação:

“30/05/2009 – 11:58 – AUTOS FÍSICOS REMETIDOS AO TRIBUNAL DE ORIGEM APÓS A SUA DIGITALIZAÇÃO, PASSANDO O AGRAVO DE INSTRUMENTO A TRAMITAR, A PARTIR DESTA DATA, DE FORMA ELETRÔNICA.”

Começou a era digital no STJ.

7 Responses to “STJ passa a digitalizar processos e devolver autos físicos aos tribunais de origem”

  1. Patrícia Oliveira Says:

    Entrando no msn essa manhã, deparei-me com o link deste blog. Para matar a curiosidade entrei. E, de cara, fiquei feliz, porque a mente brilhante de meu professor flamenguista, resolveu criar um blog para tecer comentários sobre o mundo jurídico, principalmente sobre Processo Civil, que muitas vezes precisa de alguém para psicografar o que o legislador vascaíno pensou, mas não escreveu. Professor, parabéns pela brilhante iniciativa. Este blog já figura entre os links dos meus favoritos.

  2. Patrícia Oliveira Says:

    De vez em quando, poste aqui algo do tipo: PARA NÃO ERRAR. É o que nos salva rsrs

  3. Patrícia Gomes Abreu Says:

    Excelente Professor… Quanta saudades mestre…
    Bem, realmente o STJ está na era digital, consultei alguns processos e tive a grata surpresa de saber que no máximo em 5 (cinco) dias eles digitalizam o processo e o devolvem ao tribunal de origem, inclusive, caso tenha erro no nomes dos advogados ou das partes, vc pode corrigir por telefone (0xx) 61- 3319-8410. Sei, porque precisei corrigir, pois estava no nome do advogado que me substabeleceu… E o mais impressionante foi feita a correção na hora…

    Pelo menos algo já está mudendo no Judiciário…
    Até que enfim…

    Bjs… da Patrícia Abreu e Abrahim Jezini.

  4. Patrícia Gomes Abreu Says:

    Mestre…
    Por favor me socorra… =)

    Entramos com um REsp, mas, não foi admitido pela 2ª Câmara, que o inadmitiu por haver a falta de documento de oficial que comprovasse o recesso forense de dezembro… Anexaram jurisprudências e decisões do STJ.
    Pois, a publicação do acordão foi em 09/12/2008, e no dia 22 de dezembro 2008, interrompeu a contagem pelo recesso, voltando a contar no dia 07/01/2009, e tendo como termo final o dia 08/01/2009. Ingressamos com o recurso em 07/01/09. Pergunta: Fatos públicos e notórios como o recesso forense precisam ser comprovados?
    Pagamos as custas p/ remessa, que peça podemos fazer p/ dar prosseguimento ao feito?

    Grande Abraço…

    como se sabe

    • Marcelo Augusto Says:

      Entendo que houve excesso de formalismo, eis que os fatos notórios independem de prova. Se o REsp foi inadmitido (no caso, acho que foi pelo Presidente do TJ), cabe Agravo de Instrumento, nos termos do artigo 544 do CPC, no prazo de 10 dias.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: